17 de setembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
25/05/21 às 9h33 - Atualizado em 25/05/21 às 9h34

Retrato da população do Distrito Federal começa a ser traçado

COMPARTILHAR

Tem início, nesta quarta-feira (5), a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD). Serão coletadas informações sobre os moradores de todas as 33 regiões administrativas (RAs) do Distrito Federal, a fim de subsidiar e orientar de forma qualificada o planejamento governamental.

Nesta edição do estudo tem novidades. Além das questões tradicionais, entre as perguntas do questionário há algumas voltadas aos animais domésticos e segurança alimentar. Também será entregue um questionário facultativo para cada indivíduo da família sobre questões de gênero.

Realizada a cada dois anos, a PDAD é efetuada por amostra de domicílios urbanos – selecionados mediante critérios de probabilidade. No entanto, ela avança por cada uma das 33 RAs da capital federal, e sua frequência bianual possibilita um acompanhamento da evolução das condições de vida dos brasilienses.

Para o secretário de Economia, André Clemente, as políticas públicas necessárias para atender a população devem ter base em evidências. “O Estado, para atender a população, precisa definir suas políticas públicas; e, para que surtam efeitos e atinjam seu objetivo, essas políticas precisam de base científica, base técnica e muita articulação e engajamento para viabilizar as entregas”, destaca.

“A PDAD, como as outras pesquisas da Codeplan, como PMAD (Pesquisa Metropolitana por Amostra de Domicílios) e PED (Pesquisa de Emprego e Desemprego), nos ajuda a obter os dados necessários para subsidiar o GDF na estruturação de políticas públicas”, resume o  presidente da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), Jean Lima. “São pesquisas  baseadas em evidências, permitindo delinear melhor os cenários e construir políticas mais eficazes”, completa.

A fim de oferecer um diagnóstico detalhado da situação atual do DF, os pesquisadores da Pdad 2021, devidamente identificados com crachá, visitarão cerca de 35 mil domicílios na capital federal.

Etapas

A pesquisa será feita em quatro fases, sendo a primeira, que consiste no planejamento, realizada em 11 meses. Já a segunda fase, de coleta/aplicação dos questionários, demanda cinco meses enquanto a terceira – organização de dados e análises de consistência – levará três meses. A última fase, prevista para dezembro de 2021, consiste na divulgação dos dados amostrais.

Os questionários são sobre domicílios e moradores e ambos divididos em blocos. Os blocos B, C e D são compostos por perguntas de cunho domiciliar e segurança alimentar. Já os blocos E, F, G, H, I e J são de especificidades dos moradores, como saúde individual, educação, trabalho, entre outros indicativos.

O secretário de Governo, José Humberto Pires, reforça: “É importante que a população receba os pesquisadores. Não há nenhum risco, uma vez que eles não entram nos domicílios e também não solicitam dados pessoais, como bancários ou CPF”.

Reportagem: Agência Brasília*

Fonte: Codeplan

Foto: Acácio Pinheiro, Agência Brasília

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros