19 de agosto

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
6/05/22 às 15h29 - Atualizado em 6/05/22 às 15h47

Sudoeste/Octogonal ganha investimentos em acessibilidade e segurança

COMPARTILHAR

É tempo de festa e celebração no Sudoeste/Octogonal, que completa 19 anos nesta sexta-feira. Mais de 54 mil pessoas habitam a região administrativa, segundo a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad) de 2018. Destas, 52,9% são do sexo feminino, com idade média de 37 anos. A renda média mensal per capita é de R$ 7.131,40.

 

“O Sudoeste e a Octogonal são cidades excepcionais, com região arborizada, totalmente planejada, de fácil deslocamento. O contato direto que a administração tem com os moradores gera maior celeridade ao resolver as demandas da população”, diz o chefe do gabinete da administração do Sudoeste/Octogonal, Marcos Antônio de Carvalho.

O Governo do Distrito Federal (GDF) investiu na região administrativa para melhorar, ainda mais, a experiência dos moradores. “A administração está focando bastante na acessibilidade, demanda recorrente dos moradores, então damos ênfase a isso, seja construindo ou reformando calçadas e rampas por toda a região. Outro ponto importante é que, em breve, toda a Octogonal terá iluminação de LED, assim como o Sudoeste e o SIG. O viaduto da Epig também é um grande feito, que no governo Ibaneis Rocha está sendo executado e irá beneficiar vários motoristas”, comenta Carvalho.

Neste ano, a CEB Ipes instalou 267 novas luminárias de LED no Sudoeste. Foram 131 lâmpadas na CCSW 1 a 5 e 136 na SQSW 101, com investimento de cerca de R$ 215 mil. Houve também a construção de seis rampas de acessibilidade nas entradas das quadras SQSW 302 e SQSW 103, e na EQSW 301/302.Em 2021, foram instalados 20 papa-lixos do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) no Sudoeste e na Octogonal, com investimento de aproximadamente R$ 800 mil do GDF. No mesmo ano, foi entregue um espaço público totalmente reformado, com renovação da quadra poliesportiva, bancos e mesas de concreto, além do parquinho infantil, beneficiando cerca de 15 mil moradores do bairro. Já em 2020, foram feitos reparos em 1,5 km do calçadão do Setor de Habitações Coletivas – Áreas Octogonais Sul (AOS), com R$ 250 mil de verba parlamentar.

Carinho dos moradores

A história da RA começa na década de 1980, com a idealização do Setor Sudoeste pelo urbanista Lucio Costa no documento Brasília Revisitada. No mesmo período, foram implantadas as Áreas Octogonais, com oito quadras organizadas em condomínios fechados. Até então, os setores eram parte do Cruzeiro. Tudo mudou em 2003, quando criou-se a região administrativa Sudoeste/Octogonal, pela Lei nº 3.153. Em 2019, também foi incluído o Setor de Indústrias Gráficas (SIG).

A secretária executiva Deborah Leitão, 60 anos, chegou ao Sudoeste antes mesmo de a cidade ser inaugurada como região administrativa, em 1998. Ela, que nasceu em Natal, no Rio Grande do Norte, se apaixonou pelas características do bairro e logo firmou morada. “O Sudoeste é um dos melhores lugares do DF. Como fica bem centralizado no Plano Piloto, temos muita mobilidade e acessibilidade. Eu mesma vendi meu carro há cinco anos e faço tudo de bicicleta. O comércio também é muito bom, tem tudo aqui”, conta ela.

 

Já o chaveiro Rodrigo Dias, 34 anos, se mudou para o Sudoeste há apenas seis meses com a esposa e o filho de 3 anos. Ele assumiu o empreendimento do tio, que atende moradores do Sudoeste há 12 anos. “É um ambiente bem tranquilo, espero morar aqui por muito tempo. Mesmo à noite, me sinto seguro”, afirma.

Por sua vez, Zisalva Fonseca de Lima, 70 anos, é apaixonada pela Octogonal. Na cidade desde 1996, ela trabalhou como síndica, prefeita e, agora, atua como administradora de um dos condomínios. “É um paraíso morar aqui, a lista de qualidades é enorme. Temos segurança, ambientes arborizados, conseguimos chegar a qualquer outro local do DF com pouco esforço”, celebra a brasiliense, que também é diretora comunitária do Conselho Comunitário de Segurança Pública do Sudoeste/Octogonal.

Fonte: Agência Brasília 

Mapa do site Dúvidas frequentes